30 junho 2015

[RESENHA] Clube da Insônia- Tico Sta. Cruz

Título: Clube da Insônia
Autor: Tico Sta. Cruz
Editora: Belas Letras
Ano de Publicação: 2012
Número de Páginas: 104
Skoob: Adicione

Na noite, a fúria e a paixão se encontram. O submundo emerge às ruas, evocando gente esquecida que não tem vez nem voz e perambula pela cidade em busca de luz. A noite também é a casa da diversão sem hipocrisia, da embriaguez, da luxúria, das angústias e das reflexões de quem não consegue adormecer antes de a loucura se recolher novamente aos seus abrigos diurnos. De olhos bem abertos, o músico Tico Santa Cruz, líder da banda Detonautas Roque Clube, leva o leitor a um mergulho na escuridão para compartilhar seus medos e seu inconformismo, em textos viscerais que pulsam do início ao fim, madrugada adentro, até o sol nascer. 


Em muitas de suas noites de insônia, Tico Sta. Cruz utilizava deste tempo para escrever textos, crônicas, poesias e contos; estes que eram postados em um blog, denominado Clube da Insônia. Tico soube aproveitar esse distúrbio de forma muito produtiva, o que acabou rendendo-lhe a oportunidade de selecionar algumas de suas obras e publicá-las em um livro que leva o mesmo nome do antigo blog- Clube da Insônia (o blog atual agora possui o nome do cantor www.bloglog.com.br/ticosantacruz).

Resolvi comprar esse livro, pois desde a minha adolescência eu sempre fui muito fã da banda Detonautas, e principalmente do vocalista, Tico Sta. Cruz. Não só pela música, mas pelas ideias que muitas vezes eram relacionadas a críticas sociais. Sempre acompanhei o blog dele e foi uma sensação muito gostosa ler no livro alguns textos que eu já havia visto, e acabei relembrando.

O livro é dividido em parte 1 e parte 2. Na parte 1 encontramos textos mais reflexivos sobre autoconhecimento, vida, consciência e é claro experiências pessoais como a do texto “Das Coisas que Mudam o Mundo” que com certeza é uma das cenas mais engraçadas de se imaginar. A parte 2 é recheada de temas polêmicos, regado a muita crítica social e política. Eu, particularmente sempre gostei desse lado crítico do Tico, desde sempre me fez abrir os olhos e ver que nem tudo é festa e que quase sempre somos passados para trás, principalmente por nossos governantes e não devemos nunca abaixar a cabeça diante dessas situações.

É muito difícil escolher apenas um quote ou um texto favorito, mas vejam este a seguir que na minha opinião é mais do que uma reflexão, é um ensinamento:
“Encontrar conforto no desconforto foi fundamental para que pudesse rever o caminho da luz. E a luz só brilha porque existe a escuridão.
Para ter a sensação de que estamos felizes, precisamos ter a de que estamos tristes. Não é possível se viver só no sol. Sem a noite, não conseguimos perceber as cores lindas de um dia de verão, as flores colorindo a estação, as crianças sorrindo. O mal é necessário para que possamos entender o bem.”
Sobre as ilustrações, Carlinhos Muller soube retratar muito bem o contexto, além disso, a edição possui uma diagramação perfeita. 


Sou suspeita para falar, mas super recomendo a leitura de Clube da Insônia.
um super beijo e até o próximo post!

25 junho 2015

[Diário de Leitura] 1# Tripulação de Esqueletos- Stephen King


Oi gente! tudo bem com vocês?
Esses dias eu terminei de ler um conto do Stephen King, de um livro em pdf que me passaram, e fiquei pensando em uma forma de contar para vocês o que eu achei, mas sem ter que ler o livro todo para poder resenhar caso contrário a resenha não sairia tão cedo rsrs. Então decidi criar o "Diário de Leitura" e conforme eu terminar de ler um conto, ele será resenhado aqui no blog. Espero que vocês gostem.

Título: Tripulação de Esqueletos
Autor: Stephen King
Editora: Suma de Letras
Ano de Publicação: 2013
Número de Páginas: 624
Skoob: Adicione 

Contos: Aqui há Tygres | O Macaco | Caim Rebelado | O Atalho da Sra. Todd | A Excursão | A Festa de Casamento | Paranoico: Um Canto | A Balsa | O Processador de Palavras dos Deuses | O Homem Que Não Apertava Mãos | Um Mundo de Praia | A Imagem do Ceifeiro | Nona | Para Owen | Sobrevivente | O Caminhão do Tio Otto | Entregas Matinais (Leiteiro n°1) | O Carrão: Uma História sobre o jogo da Lavanderia (Leiteiro n°2) | Vovó | A Balada do Projétil Flexível | O Braço de Mar |

Vovó
Eu como sempre, toda errada, não segui ordem nenhuma e decidi começar pelo conto que mais chamou a minha atenção e aguçou a minha curiosidade: Vovó. 
A estória começa com ar de despedida. A mãe de George lhe repassa as últimas orientações e demonstra certo ar de preocupação com o filho, já este ficará sozinho com sua Avó moribunda, uma vez que seu irmão, Buddy, quebrara a perna e estava no hospital.  Enquanto sua mãe passava as últimas orientações, George parecia tentar convencer a si mesmo que não havia problema em ficar com a Vovó e ao mesmo tempo sua mente era inundada de recordações dele quando criança, chorando, com medo do abraço da velha de aparência assustadora. A mãe do garoto parte, e ao que tudo indica, irá demorar para retornar. George tenta de todas as maneiras distrair o pensamento, "rezando" para que sua Vó continue dormindo, pois assim ele não teria que entrar no quarto e ter contato com ela. Acontece que de tanto tentar distrair o pensamento, ele acaba na verdade relembrando de algumas conversas que ouvia junto com seu irmão atrás das portas, e que na época, não conseguia entender. Depois dele ficar remoendo lembranças que iam surgindo do nada na sua cabeça, o menino liga os pontos e deduz que sua vovó é uma bruxa que tem pacto com o demônio e é aí que o negócio começa a ficar tenso de verdade. Eu fiquei super agoniada por ele, sério! O final é perturbador, inesperado e muito medonho. Gostei bastante, ficou na minha cabeça por algumas horas e tenho que confessar que me deu um certo medinho hahaha Vejam vocês que logo de cara eu tive sorte e gostei muito do primeiro conto lido e isso fez com que eu queria ler os outros o quanto antes.

Há um episódio da série Além da Imaginação (The Twilight Zone) baseado nesta obra. O ep. leva o mesmo título do conto (Gramma) e foi lançado nos anos 80. Não assisti, mas pretendo.
Além da série, a obra também foi adaptada para o cinema no ano passado (2014), chama-se Mercy e não sei se terei coragem de assistir. Sim, sou medrosa pra caramba!

um beijo gente! me contem suas impressões nos comentários. Ah! se você já leu/assistiu, vou adorar saber sua opinião. Até o próximo post.

22 junho 2015

Li até a página 100 e... 2#



Cidades de Papel
John Green

PRIMEIRA FRASE DA PÁGINA 100:
"- Eu estava contando pra sua mãe que tenho um sonho recorrente por ansiedade- disse ele."

DO QUE SE TRATA O LIVRO?
Quentin Jacobsen é um jovem, apaixonado por sua vizinha Margo Roth Spiegelman desde a infância. Margo por sua vez é uma doida varrida que até então parece não corresponder a essa paixão. Ambos eram amigos e costumavam brincar juntos, até que um dia após uma situação atípica, a amizade deles se dilui. Depois de anos sem contato, em uma bela noite Margo arrasta Q para uma aventura enchendo o garoto de esperanças.

O QUE ESTÁ ACHANDO ATÉ AGORA?
Estou achando bacaninha, muito adolescente, mas bacana. A escrita do autor é bem fácil, o que ajuda muito a leitura fluir.

O QUE ESTÁ ACHANDO DA PERSONAGEM PRINCIPAL?
Quentin é engraçado e todo apaixonado. Gostei dele, mas acho que ele vai acabar se lascando no final.

MELHOR QUOTE ATÉ AGORA:
Claro que eu vou escolher o quote mais clichê de todos rsrs

“-Eis o que não é bonito em tudo isso: daqui não se vê a poeira ou a tinta rachando ou sei lá o quê, mas dá para ver o que este lugar é de verdade. Dá para ver o quanto é falso. Não é nem consistente o suficiente para ser feito de plástico. É uma cidade de papel. Quer dizer, olhe só para ela, Q: olhe para todas aquelas ruas sem saída, aquelas ruas que dão a volta em si mesmas, todas aquelas casas construídas para virem abaixo. Todas aquelas pessoas de papel vivendo suas vidas em casas de papel, queimando o futuro para se manterem aquecidas. Todas as crianças de papel bebendo a cerveja que algum vagabundo comprou para elas na loja de papel da esquina. Todos idiotizados com a obsessão por possuir coisas. Todas as coisas finas e frágeis como papel. E todas as pessoas também. Vivi aqui durante dezoito anos e nunca encontrei ninguém que se importasse realmente com qualquer coisa.” pág.68

VAI CONTINUAR LENDO?
Sim! Quero saber o que acontece depois da noite de vinganças malucas.

ÚLTIMA FRASE DA PÁGINA:
"Fui sentado no banco que Margo havia ocupado."



*Ideia original Estante Lotada. Para levar esse meme (tag) para o seu blog, clique aqui.

um super beijo e até o próximo post!